sexta-feira, 3 de junho de 2016

Resenha: A Guerra dos Anjos - Domínio Espiritual (Arley França)

Páginas: 546
Gênero: Ficção
Nota: (5/5)
Editora: Chiado
Edição: 1/2016

SINOPSE: Depois de um planejamento maquiavélico, estruturado em cem anos, os seres infernais conseguiram a maior proeza da história: extinguir a humanidade. Com quase 5 BILHÕES de pessoas mortas, eles colocaram em ação a última parte de seu plano: possuir, com espíritos inferiores, todos os humanos restantes. Mas o que eles não sabiam é que um dentre esses humanos tinha um elemento na alma que não permitiu que ele fosse possuído. Esse humano era o guardado de Caliel, um anjo da casta dos guardadores de Deus. Agora se iniciará a maior guerra de todos os tempos, com os anjos protegendo esse humano a todo custo, pois ele é o único que pode trazer a humanidade de volta. SKOOB.

“Às vezes você pega um livro, outras vezes ele pega você...”. O que falar deste livro? Para mim foi uma tripla história de amor... primeiro, pela Capa (esbarrei nela sem querer pela internet), segundo, pela Sinopse (a curiosidade com a capa me fez correr atrás de mais...), e terceiro, pela história em si (SIM... dei algumas surtadas no Face do autor, mas tudo inbox... hehehe) ...

“Repentinamente, ao mesmo tempo, mãe e filho despencaram no chão, desacordados. Após um minuto, começaram a voltar, mexendo primeiramente os dedos das mãos.  Aos poucos se colocaram em pé, observando em volta, como se não reconhecessem o lugar. Tinham um olhar sinistro, como se tivessem esquecido a vida que existira ali. Um fato completamente grotesco foi que seus olhos já não eram ais brancos, cristalinos. Agora eram negros, foscos. Pareciam torrados por uma poderosa chama que queimou apenas aquela região.”

Sou apaixonada por histórias com anjos, mas sempre li livros cuja trama se dava na luta para evitar o Apocalipse. Em “A Guerra dos Anjos – Domínio Espiritual” encontramos justamente o depois, quando enfim, os infernais conseguem quase que extinguir a humanidade e falta muito pouco para dominar o planeta. (O cenário pós-apocalíptico é simplesmente de tirar o fôlego!) Para que o plano dê certo, seria necessário acabar com um determinado humano, que guarda em sua alma um poder inimaginável e muito poderoso, que o impede de ser possuído. Anjos, arcanjos e anjos caídos (um dos detalhes que mais me prenderam à história...) lutam para protegê-lo enquanto guerreiam em grandiosas batalhas com os demônios.

“Mostrando os dentes, a fera partiu para o ataque vorazmente, lançando-se com sua arma, em linha frontal, contra o corpo do anjo. Amortecido e pronto para receber a ofensiva, Haziel segurou a empunhadura de sua espada com as duas mãos receptando o ataque, bravamente. As duas lâminas se encontraram e houve um choque radiante de energia sobressalente. Duas cores se confundiam em dourado e purpúreo. Relâmpagos estouravam em clarões reluzentes da disputa.”

O livro é um pouquinho grande? Para alguns, sim... mas o autor tem uma escrita tão fluida e hipnotizadora que faz com que o leitor queira ler mais e mais, ansiando pelas páginas seguintes... Sabe aquela “desculpa esfarrapada” de todo leitor... “Vou ler só mais um capítulo”? Se aplica muito bem a este livro, uma vez que o leitor dificilmente se contentará apenas com “apenas mais um capítulo” rsrsrs.
O enredo foi muito bem elaborado, cenários e personagens muito bem descritos mostram não apenas a grandiosidade da obra mas também a destreza do autor com as palavras, tornando a leitura bastante intensa e convidativa. Tudo começa bem simples e vai se tornando maior e mais dinâmico. Não há como o leitor não se entregar ao prazer de ler esta obra. Acredito que isso se dê devido à paixão com que foi escrita. Não acredita? Basta conversar 5 minutos com o autor e você perceberá. A trama se passa em vários locais e dimensões diferentes e existe a alternância entre presente e passado, não deixando qualquer ponta solta no desenrolar da história, nada fica sem explicação.

“Súbito, no céu, uma grande luz muito brilhante floresceu. Em seguida, uma poderosa explosão de magnitude colossal. Uma chuva de centelhas reluzentes foi arremessada como cometas em todas as direções. Ao choque dos meteoros de luz, o solo começara a se inundar. Não de água, mas sim de uma grossa camada de luz, dourada, radiante.”
  
Para mim, dois pontos tiveram maior destaque: 1) As batalhas foram tão bem escritas que seria capaz de jurar que aconteciam ao vivo, bem na minha frente, tamanha intensidade com que foram escritas! Algumas me deixaram sem fôlego!; 2) Um personagem em especial me deixou extasiada... Lúcifer! Ele está presente em várias histórias, é verdade, mas garanto que em nenhuma delas como em “A Guerra dos Anjos”. Este personagem teve grande importância para a história, mas não da forma que você, com certeza, está acostumado a ver em outras narrativas.

“Triste, sentindo-se excluído, Lúcifer se recusou a viver em benefício dessa raça. Ele a considerava inferior. Todos, hoje em dia, pensam que ele foi arremessado ao abismo, mas não foi exatamente assim que aconteceu. Ele propriamente se isolou no submundo e acabou sendo seguido por outros anjos. A partir daí, esses anjos, exceto Lúcifer, começaram a agir contra a humanidade.” 
Sobre o desfecho... PÁRA TUDO!!! O QUE FOI ISSO?!?!?! (Outro “pequeno” surto meu presenciado pelo querido Arley França...rsrsrs) Fiquei com o coração na mão e estou desesperada pela continuação! Não quero dar Spoilers, mas de uma coisa tenho certeza... antes de embarcar nesta viagem, respire fundo, pois você estará entrando em um turbilhão de emoções.
O autor possui uma criatividade ímpar, me arrisco a chamá-la de “hiperativa”... rsrsrs... Está envolvido em vários outros projetos dentre livros e contos e logo teremos ótimas novidades ... A Guerra dos Anjos foi sua primeira publicação e, daqui para frente, só digo o seguinte... Arley, quero ler até sua lista de supermercado!!

Conheça mais sobre o autor, clique aqui.


Espero que gostem tanto quanto eu desta leitura. Você pode adquirir o livro pelo site da Chiado Editora ou pelo site do autor.