domingo, 2 de abril de 2017

Resenha: Doce Amargo – Livro 1 (Evelyn Santana)

Autora: EVELYN SANTANA
Editora: Coerência
Gênero: Romance
Páginas: 441
Ano: 2016
Sinopse: Quantas vezes um coração pode ser machucado antes de deixar de amar? Melinda é uma garota que não conhece suas origens, tendo sido abandonada com poucos dias de vida em um orfanato, onde se apaixona por uma ilusão, um rosto em uma foto no jornal: Robert Blackwell, um promissor empresário que fez uma generosa doação para o orfanato onde ela morava. Anos mais tarde, Linda consegue se erguer, estudar e garantir um bom emprego na empresa de Robert. Um acidente faz com que se encontrem. A ganância dele os aproxima. E o amor sela tudo. SKOOB 

     Em 2016, tive o prazer de participar do Projeto das Primeiras Impressões de “Doce Amargo” (clique aqui) e tais impressões não podiam ter sido melhores! Fiquei bastante empolgada e curiosa com a história, sem falar na escrita da autora (Gente, preciso comentar... a Evelyn é uma das parceiras mais amorzinho aqui do Blog, como profissional e como pessoa!!) que me conquistou logo de cara! Já tem um tempinho que terminei a leitura, mas precisei de um tempo para situar minhas ideias (Sim, a história me envolveu completamente!).

     Melinda conhece Robert, dono da empresa onde trabalha, após um acidente. Robert, passando por problemas pessoais após a morte de seu pai, vê em Linda a chance de resolvê-los. Encontros e desencontros, ambição, ganância e amor se misturam. O passado de ambos moldam suas atitudes no presente.
     Robert, consegue o que tanto almeja ao conseguir colocar uma aliança na mão esquerda de Linda. Porém, para que isso aconteça, nossa protagonista passa por uma série de situações, dentre elas: conhecer e ser aceita pela família do noivo, afastar-se de uma família, vizinha de seu apartamento, por quem nutre grande apreço e de onde faz parte seu melhor amigo, conhecer pessoas de famílias ilustres que lhe causariam muitas dores de cabeça mais tarde... Por sua vez, Robert também fez muito para que isso acontecesse: experimentou alguns hábitos da moça bem diferentes para si, comportou-se de formas não imagináveis antes de conhecê-la.

"De tantas coisas em minha vida capazes de me entristecer, amar Robert Blackwell era o que mais me feria, porque esse é o preço que se paga por desejar o impossível."

     E o amor? Linda desde muito tempo já estava apaixonada, muitos antes de conhece-lo pessoalmente. Robert, bem, negócios são negócios! Ou pelo menos era como pensava. Linda começa a perceber que nem tudo seriam flores nesse casamento, ainda assim, estava disposta a lutar por seu amor e mostrar-lhe que as coisas podiam ser bem melhores do que eram na realidade.
     A inveja e o despeito são sentimentos que empobrecem o ser humano, mas foram eles que se apoderaram de algumas pessoas ao redor do casal e tudo veio abaixo. Uma armadilha causou um grande mal-entendido e uma enorme farsa veio à tona, revelando o verdadeiro motivo da união. Levando Linda ao seu limite e Robert ao seu inferno particular.

“... havia uma coisa que não dependia da minha vontade, porque eu não havia escolhido me sentir tão atraído por Linda quanto me sentia. Seguramente, não foi minha escolha abdicar do controle das minhas ações quando de frente à única coisa mais forte que minha determinação. Desejar Linda mais do que tudo não foi uma escolha consciente, e sim um regalo, que, como tudo na vida, cobraria seu preço. Cedo ou tarde.”

     Uma história de amor intensa e nada clichê, onde ao meu ver, a mocinha não tem nada de frágil e ingênua e o mocinho e o vilão podem vir a confundirem-se no imaginário dos leitores, mergulhados em uma leitura extremamente envolvente e apaixonante. Aqui não houveram pontas soltas, tudo foi muito bem amarrado para o deleite do leitor. A capa e a diagramação ficaram impecáveis! Personagens fortes, complexos e carismáticos, juntamente com a carga emocional que suscitam e um enredo muito bem elaborado e dinâmico deram – e ainda darão – a “Doce Amargo” e a autora um lugar de destaque no coração de muitos leitores!

“Nenhum de nós dois pronunciou a palavra fim, ninguém disse que estava tudo acabado. Não ainda. E enquanto nada disso acontecesse, havia sempre uma esperança de acertarmos as coisas.”

Sobre o Livro 1, só ficou uma pergunta: Evelyn, falta muito para o Livro 2? (rsrsrs). O desfecho me surpreendeu bastante e acredito que o desenlace final será de muitas palpitações nos coraçõezinhos de seus fiéis e novos leitores!

Espero que tenham gostado!!

*Para adquirir o livro: